Festa de Jesus, Maria e José (sagrada familia). Poconé-MT


No dia 20 de fevereiro o Santos da Baixada foi conhecer a festa da sagrada família realizada pela irmandade da Senhora Benedita Marilza de Souza no município de Poconé-MT a convite do seu Dito Pinto, integrante de um grupo de Cururueiros da cidade.

Não se sabe ao certo a data de início do festejo que começou em virtude de uma promessa dos patriarcas Olímpio Timóteo de Almeida e Dona Ascendina pela saúde do filho Joanito Celino de Souza. Desde então, a festa se realiza todo dia 20 de fevereiro com a ajuda dos festeiros e dos reis e rainhas eleitos anualmente.

A princípio ficamos intrigados pela festa acontecer em plena segunda feira, pois em geral as festas se iniciam nos finais de semana. Dona Benedita nos explicou que nesse ponto a festa sempre se manteve fiel à tradição de acontecer no dia do Santo, faça chuva ou faça sol. Mas nem tudo permaneceu da mesma forma: os barracões de palha para abrigar a cozinha e o altar construídos com dias de antecedência por mutirões de festeiros foram substituídos pelas casas de alvenaria, a programação que contemplava apenas reza e cururu agora inclui o baile de lambadão.

Ao longo dos anos, o poder milagroso da fé continua dando sinais de que a festa deve continuar. As irmãs de Dona Benedita contam de algumas situações em que a festa quase não aconteceu por vontade do irmão Joanito ou do patriarca seu Olímpio. Nessas situações, ambos ficaram enfermos, seu Timóteo inclusive chegou a ser internado. Bastou a realização da festa para sua cura, afirma Dona Benedita.

Caeté / Tanque Novo

Seu Dito Pinto nos contou que a festa da família de Dona Benedita teve origem há 35Km de onde estávamos em um local conhecido como Caité. Lá morava Dona Doninha, conhecida por seus conselhos certeiros e poderes adivinhatórios. Doninha dizia que sua habilidade adivinhatória provinha de conversas com Jesus, Mária e José, a sagrada família. A influência de Dona Doninha na região inspirou seu Timóteo e Dona Ascendina a também realizar sua festa em devoção à sagrada família.

Tanque novo se tornou o nome da região do Caeté em virtude da construção de um tanque na casa de Dona Doninha. Confira o depoimento do cururueiro Dito Pinto sobre a festa:

Vocabulário:

Bangué: espécie de instrumento de couro esticado com duas hastes laterais usado para carregar terra ou transportar mercadorias.

Declaração de acessibilidade
e-mail do projeto
  • Instagram
  • Facebook